Atenção, servidores da saúde!

Em Notas, Notícias by Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de PaulíniaComente esta matéria

Desde o início da pandemia da Covid-19, temos lutado para garantir condições de trabalho adequadas para os profissionais das atividades essenciais. Fornecimento de EPIs e pagamento de adicional insalubridade grau máximo foram algumas das reivindicações do sindicato junto à prefeitura e à Justiça. Um dos resultados concretos foi o posicionamento da Procuradoria do Trabalho, no dia 7 de abril, que obrigou a Prefeitura a rever uma série de procedimentos dos servidores da linha de frente.

Desde então, passou-se um mês e a situação se agravou. Anteontem, 5 de maio, estivemos novamente no HMP para apurar sobre afastamento de servidores por suspeita ou confirmação de Covid-19. Segundo funcionários e chefias, já temos sim casos confirmados. Neste cenário, fica ainda maior a responsabilidade quanto à garantia de procedimentos e protocolos de prevenção ao contágio. Mas, de acordo com as informações que recebemos, não houve por parte da Prefeitura nenhuma medida adicional para melhorar a segurança e as condições de trabalho dos servidores. E isso não podemos admitir.

No mesmo dia 5 de maio, a Procuradoria do Trabalho emitiu um novo despacho respondendo solicitação do Sindicato sobre os pontos não cumpridos das recomendações do começo de abril. A Procuradoria exige novamente que a prefeitura tome as devidas providências. Também determinando que a prefeitura garanta o acesso do Sindicato para que fiscalize in loco as condições de trabalho, a fim de monitorar e garantir o cumprimento das medidas apresentadas.

O Sindicato também esteve em contato com alguns conselheiros da saúde, para redobrar os esforços e exigir ações imediatas e efetivas por parte da Administração.

Seguiremos atuando de maneira firme para defender a vida dos servidores e, consequentemente, de toda a população que precisa de atendimento diário. Todas as medidas cabíveis serão tomadas para que os servidores tenham condições de trabalho adequadas nesta situação tão adversa.

Avante!
A luta faz a lei!
STSPMP

Comente esta matéria